ideários & ideologias em “Os Lusíadas”

novembro 1, 2009 às 10:39 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Tags: , , , ,

Na LitPort 1 @s estudantes, em geral, elencaram vários temas a merecerem exploração e aprofundamento na parte final de nosso curso, notando-se um interesse transversal na articulação entre a literatura e as formas de representação da identidade e da diferença. Buscando uma síntese abrangente desse desejo em navegar por rotas múltiplas da memória lusitana, daremos partida na aula de 04/11 a uma discussão acerca dos valores estruturantes da identidade portuguesa conforme estes se encontram representados em narrativas que expressam o imaginário da Expansão Marítima. Ainda em sintonia com as opiniões colocadas nas redações, dirigiremos o foco de leitura para aquela narrativa que podemos certamente considerar tanto a mais importante quanto a mais desafiante, isto é, Os Lusíadas, de Luís de Camões. A orientação “cartográfica” para essa navegação literária & culturalista nos será proporcionada por dois textos teóricos. O primeiro deles é a “Introdução” ao épico camoniano feita por um dos mais influentes críticos literários portugueses, António José Saraiva. Trata-se de um texto referencial para os estudos desse poema, oferecendo uma excelente apresentação tanto contextual quanto formal do mesmo. Em nossos estudos, nos concentraremos nas questões relativas ao conteúdo da obra, ou aos seus “ideários”, como propõe Saraiva, recomendando-se portanto a leitura do texto até, pelo menos, a página 27. Para fazer o download, clique AQUI (em conexão de banda larga, a transferência levará cerca de 10 minutos). Para saber mais sobre António Saraiva, Camões e Os Lusíadas, visite e pesquise o MUJIMBO.

saraiva lusiadas 

 

 

 

 

 

   

A esse estudo canônico da obra de Camões, cruzaremos a leitura polemizadora do poema feita pelo crítico e escritor Silviano Santiago no ensaio “Por que e para que viaja o europeu?”. Visite novamente o MUJIMBO e ganhe acesso a um conjunto de textos deste renomado pesquisador disponibilizados on-line pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, pacote bibliográfico no qual se inclui o ensaio já referido. Também há cópia dele na xerox do campus, bem como do texto de António Saraiva. Pioneiro na renovação dos estudos literários no Brasil, Silviano Santiago desempenhou um papel decisivo na reformulação metodológica que hoje articula diretamente a literatura, a ideologia colonial e a questão identitária. Para quem quiser desdobrar numa perspectiva angolana esta reflexão sobre o imaginário dos “descobrimentos” & dos complicados intercâmbios culturais lusófonos, recomenda-se também o ensaio híbrido “Eu e o outro – o invasor ou em poucas três linhas uma maneira de pensar o texto”, do escritor Manuel Rui, autor da letra do hino nacional de Angola. 

lusiadas santiago2

Anúncios

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: